scroll

São poucos os negócios brasileiros que planejam a médio e longo prazo, como também é pequena a parcela de empresas que, de fato, executa o que havia planejado. Nenhuma novidade até aqui, certo? Mas é justamente essa falta de sinergia um dos principais motivos de não crescimento destas operações.

Para solucionar esse problema, a Scoreplan, startup de Caxias do Sul fundada em 2018, criou o Planejamento Estratégico e Financeiro, um software que centraliza todos os processos empresariais em uma única plataforma, ajudando players a alinhar planejamento com execução.  A missão é aculturar gestores e empresas a se orientarem por resultados, tendo a tecnologia como investimento vital para aumentar a eficiência.

“Nosso sistema é o mais completo do mercado para planejamento estratégico e financeiro. É uma solução que combina metodologias tradicionais e ágeis e centraliza todos os processos como indicadores, projetos, orçamento, riscos e planos de ação”, explica a cofundadora e CMO da Scoreplan, Camila Agostini.

Em menos de três anos de atuação, a startup serrana já contabiliza mais de 120 empresas e 3 mil pessoas usando seu sistema integrado. Com foco em negócios de médio e grande porte, mas com capacidade de atender qualquer segmento ou tamanho, a Scoreplan reúne clientes como Unimed, Sicoob, Orquídea e Valeo, entre outros.

Camila chama atenção para a descentralização nas plataformas de gestão estratégica disponíveis no mercado hoje em dia. Geralmente, são soluções compostas por diferentes planilhas e sistemas, que não se comunicam e, assim, não ajudam a aumentar a eficiência das empresas. Por seguir o oposto desse modelo, a empresa de Caxias tem se destacado em nível nacional.

Com seu sistema fácil e intuitivo, atendimento ágil e evolução contínua do software, inclusive com uma funcionalidade que promove a inovação aberta, a Scoreplan queria se diferenciar, e conseguiu. Em 2020, a empresa ganhou o prêmio TOP 100 Open Startups, na categoria Construtechs, superando 13 mil startups candidatas e sendo a única da Serra gaúcha no ranking nacional. Além disso, é uma das cinco startups do especial Radar Caldeira Serra, uma iniciativa que conta com a curadoria do Instituto Caldeira e do Instituto Hélice, projeto da Serra Gaúcha que tem como mantenedoras Florense, Marcopolo, Metadados, Randon e Soprano. A ideia é apresentar as jovens empresas que estão contribuindo para a transformação de importantes indústrias gaúchas.

Mesmo assim, ainda há um caminho longo para avançar, principalmente porque é preciso vencer a barreira cultural no Brasil.

Uma parcela significativa das empresas no País ainda foca sua atuação no curto prazo, deixando de lado o planejamento estratégico. Entre as que planejam, a maioria esmagadora não executa de fato o que é pensado. Assim, as empresas nadam contra a correnteza e permanecem no mesmo lugar; sobrevivendo sem gerar resultados efetivos aos stakeholders” ressalta mais uma vez a CMO da Scoreplan.

A empreendedora comenta que mudar essa mentalidade de que a tecnologia é um custo e não um investimento é o principal desafio da Scoreplan. O desafio é mostrar que as soluções tecnológicas podem ser um divisor de águas no enfrentamento da crise e no aumento da produtividade.

“Precisamos vencer uma cultura já implementada nas empresas brasileiras de falta de orientação ao estratégico e aos resultados”, ressalta.

Uma pandemia no início do caminho

Dos pouco mais de dois anos de operação da Scoreplan, apenas o primeiro ocorreu sem a presença da Covid-19. Por ser uma empresa de tecnologia, a adaptação interna foi tranquila e a migração para o home office sem ruídos. Mas, o grande desafio foi ajudar na adaptação dos seus clientes para o novo modelo de trabalho.

“Como tínhamos uma atuação forte no presencial por demanda dos nossos clientes e parceiros, essa adaptação talvez tenha sido mais desafiadora para eles do que para a Scoreplan”, conta a CMO.

Mesmo que o mercado como um todo tenha sofrido com a chegada do vírus e as empresas tenham freado investimentos, o que acabou afetando indiretamente a startup de Caxias do Sul, a operação continuou crescendo.

O primeiro semestre de 2021 está repetindo o que foi visto em 2020, com crescimento um pouco mais lento. No entanto, agora o vírus não é uma surpresa, o que faz a Scoreplan estar mais preparada para enfrentar o cenário. “Temos boas perspectivas para o segundo semestre do ano, com uma maior parcela da população vacinada, é provável que a economia volte a aquecer, o que começará a nos mover novamente em direção às projeções que fizemos lá em 2019”, projeta Camila.

Além disso, o sistema de Planejamento Estratégico e Financeiro da Scoreplan casou muito bem com o modelo de trabalho remoto, o que deve seguir sendo explorado pela empresa, já que essa é uma realidade que veio para ficar. De casa, os gestores podem acessar o sistema pela web, de qualquer dispositivo, e dar andamento às atividades, seja delegando tarefas, analisando entregas ou tomando decisões.

Cenário de inovação no RS

Na visão da CMO da Scoreplan, Camila Agostini, o surgimento de hubs de inovação e collabs no RS, com fomento do ecossistema de inovação e startups nos últimos anos, tem gerado mais incentivos e oportunidades para o setor.

Isso fica claro com cada vez mais startups ganhando tração e expandindo, além do crescimento na participação de startups em feiras em que tradicionalmente não era comum vê-las, como a Mercopar, argumenta a empreendedora. “Outro ponto é que somos um povo naturalmente bairrista. Quando identificamos uma necessidade e buscamos soluções no mercado, temos a tendência de dar preferência aos negócios locais. E sentimos que isso não mudou com a pandemia”, anvalia.

Raio X

Nome da startup: Scoreplan

Nome dos sócios: João Paulo Colleoni, Fabiana Bavaresco, Carlos Pegorini e Camila Agostini

Estágio: Tração

Segmento: Software SaaS

Número de colaboradores: 15

Investimento já recebido: ­­___

Principal produto: Scoreplan, sistema para Planejamento Estratégico e Financeiro