scroll

Tornar a jornada de trabalho mais satisfatória aos colaboradores. Com essa missão nasceu a StarGrid, startup que desenvolveu uma plataforma de gestão automática de escalas laborais, a partir do uso de Inteligência Artificial (IA). Focada, inicialmente, no setor hospitalar, o objetivo da inovação é ajudar os profissionais na organização dos dias de folga pretendidos pelos colaboradores, automatizando os processos e gerando maior eficiência.

Escalas 6 x 1 (nas quais a cada seis dias de trabalho, o funcionário descansa um) e 12 x 36 (a cada 12 horas de trabalho, ele descansa 36 horas subsequentes) são comuns na área hospitalar e costumam gerar uma alta concorrência por folgas em alguns dias especiais. Esse é um exemplo do quebra-cabeça enfrentado por diferentes empresas e que a startup se propõe a ajudar a montar a partir de sua solução.

“A StarGrid surgiu da oportunidade de auxiliar uma gestora que enfrentava sérios problemas para construir boas escalas no menor tempo possível e ainda satisfazer os seus times, respeitando regras legais e o desejo individual de cada colaborador. E a partir dali se tornou uma solução para o mercado”, relembra o CEO da StarGrid, Guilherme Bunse.

O processo funciona da seguinte forma. Primeiro, o colaborador escolhe as datas em que pretende usufruir das folga e lança na plataforma. Feito isso, o gestor da área, responsável por criar as escalas, roda o algoritmo, que se baseia em regras e configurações preestabelecidas para cada setor. O sistema busca a melhor combinação dentre bilhões de possibilidades e, em seguida, o gestor realiza os ajustes que julgar convenientes. Após a aprovação, o grid é gerado automaticamente. O colaborador, então, recebe sua escala de trabalho em seu celular.

Com o uso da Inteligência Artificial, o número de combinações avaliadas é imenso, o que é impossível de ser realizado de forma manual. Desta forma, as empresas conseguem corresponder em torno de 75% do atendimento às solicitações de folgas contra cerca de 25% atingidos pelos processos tradicionais”, compara Bunse.

Por parte dos colaboradores, a eficiência nesse processo resulta em uma maior satisfação, além de gerar um entendimento de justiça e imparcialidade em relação à gestão da escala, evitando descontentamentos.

Além disso, o sistema facilita a gestão de trocas, sugerindo candidatos e servindo como interface para a negociação e aprovação dos lançamentos. E por se integrar aos sistemas utilizados pelas instituições, permite a comunicação com sistemas de folha e ponto, possibilitando o gerenciamento de horas extras e bancos de horas.

O uso da ferramenta não beneficia apenas os colaboradores, mas a empresa como um todo, que passa a apresentar reduções de faltas, afastamentos, horas extras, turnover e custos com a gestão.

“Temos casos de clientes com retornos que superam em 20 vezes o investimento com o uso da nossa solução. Queremos proporcionar este tipo de economia para um número maior de hospitais e outras empresas, das mais diversas áreas”, afirma o CEO.

Parcerias

Assim que a StarGrid modelou o seu produto, a startup teve a oportunidade de apresentá-lo ao Hospital Moinhos de Vento e formar uma parceria vital para o crescimento da startup. Outra grande instituição que conta com a solução e usufrui de seus benefícios é a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. A plataforma transcendeu as fronteiras do Estado e está presente em outros grandes hospitais do país, como o Hospital Sírio Libanês, HCOR e Hospital Alemão Oswaldo Cruz, localizados em São Paulo.

Contudo, a atuação da startup não se restringe à área da saúde e a StarGrid está presente também em redes de hotéis, supermercados e estabelecimentos do comércio em geral. O próximo passo, conta Bunse, é chegar à indústria e a área de logística.

Tivemos o cuidado de adequar nossa plataforma para outros segmentos como forma de ampliar nosso mercado e reduzir nossa vulnerabilidade à crises”, explica.

Startups de saúde têm recorde de investimento

De acordo com pesquisa recente divulgada pelo Distrito, as healthtechs brasileiras receberam um recorde de investimentos no primeiro trimestre deste ano. Ao todo, foram aportados US$ 91,7 milhões em 14 rodadas, o que representa 85% do total investido no ano passado e é 324% superior em relação ao mesmo período de 2020.

“Entendemos que o elevado movimento, notícias e acompanhamento da população com os assuntos que envolvem saúde no País e no mundo permitiu uma expansão da percepção da importância do investimento no segmento. Somente com recursos e ciência seremos capazes de nos tornarmos melhores e conseguirmos salvar mais vidas”, comenta o CEO da StarGrid.

Com esse bom momento, a startup planeja, para o restante do ano, se tornar mais escalável, melhorar o seu processo de onboarding, seguir expandindo para novos mercados e desenvolver novas funcionalidades para continuar se destacando no mercado.

Levantamento Caldeira e Sebrae

A StarGrid está entre as cinco startups gaúchas que mais se destacaram em seu segmento, conforme  levantamento realizado pelo Instituto Caldeira e o Sebrae RS . A relação foi feita a partir de uma análise do mercado, considerando as empresas que já estão consolidadas e também as que estão em expansão e entregam soluções para problemas reais das organizações.

“Ficamos muito felizes pelo reconhecimento, principalmente por confirmar nossa percepção de que estamos no caminho certo. Muitas vezes, olhar ‘de dentro’ pode dar uma impressão meio turva e incorreta da realidade. Saber do potencial percebido por especialistas e empresas é motivador, mas nos cobre de responsabilidades, uma vez que passamos a estar em uma vitrine”, aponta Bunse.

Raio x

Nome da startup: StarGrid

Nome dos sócios: Guilherme Bunse, Tiago Fiorenza, Werner Trieloff, Elisa Martel, Henri Fiorenza

Estágio: Scaleup

Segmento: HRtech

Número de colaboradores: 18

Investimento já recebido: R$ 1,5 milhão

Principal produto: Software de gestão de escalas de trabalho com Inteligência Artificial