scroll

A ignorância é o vírus mais letal. Ele esteve sempre na raiz de todos os dramas da humanidade. Matou, destruiu economias e criou as condições para a propagação do fanatismo, do medo e do ódio. No Brasil, desde 1500, participa ativamente da vida nacional e, depois de 520 anos, continua firme, forte e presente. 

Em plena Era da Informação, milhões de brasileiros contraem o analfabetismo funcional, o desinteresse pelo conhecimento e outras doenças muito graves. Pouca gente está verdadeiramente empenhada em erradicá-lo. Será que nos acostumamos com ele? Vem aí a 521ª onda do vírus da ignorância. Nestes tempos de pandemia, a pergunta inevitável: existe uma vacina para esse vírus? Existe e tem sido ministrada há mais de 2 mil anos em vários países. A sua eficácia, portanto, foi amplamente comprovada. O nome da vacina do vírus da ignorância é educação. 

O caso da Grécia Antiga é emblemático. A vacina dos gregos da Antiguidade era a paideia, um sistema educacional cujo principal objetivo era formar sábios. Esse sistema desenvolvia o discernimento crítico e o equilíbrio emocional dos alunos, transmitia informação e conhecimento profissional e ensinava o cultivo das virtudes morais. A galera aprendiza a fazer e a pensar. Plutarco, autor do tratado Da Educação das Crianças, dizia que “a educação não equivale ao ato de encher uma jarra, e sim ao de acender uma chama”.

Educação é um tema recorrente e muito relevante no dia a dia do Instituto Caldeira (IC). Não poderia ser diferente. O IC foi criado para fazer transformações concretas e positivas no Rio Grande do Sul, através do fomento da inovação e da transformação digital das empresas gaúchas. Os fundadores e os parceiros da entidade sabiam que o sucesso da iniciativa dependeria menos da tecnologia do que da inteligência e da sabedoria humana. Transformação pressupõe coragem, humildade, autoconhecimento, desapego, disposição para mudar e vontade de aprender. 

A paideia cultivava essas qualidades nos gregos do século 4. A Grécia Antiga formou gente que transformou o mundo. A paideia é um case de sucesso. Uma vacina sem contraindicação. Temos que atacar imediatamente o vírus da ignorância com educação, educação e educação. Nada mais urgente.