scroll

A indtech gaúcha Sirros IoT começa 2021 com um típico problema bom: conseguir atender a alta demanda de projetos que surgiram como decorrência da aceleraçao da digitalização das indústrias em função da Covid-19. “Estamos com um número recorde de projetos em 2021”, conta o COO da operação, Diego Schlindwein.

O impacto da pandemia na economia contribuiu muito para esse cenário porque, com a queda de demanda, o uso de tecnologia se tornou essencial para as companhias ganharem produtividade e voltarem a crescer.

Mas, na verdade, esse movimento começou até mesmo antes da pandemia, em 2019, quando a mudança na cultura das indústrias na direção da inovação começou a ficar mais madura. Uma caminhada que, claro, está apenas iniciando. “Vemos várias indústrias de grande porte que ainda não têm iniciativas de digitalização internas. Acredito que demorará mais uns anos para atingirmos uma maturidade cultural”, aponta.

De acordo com a recente pesquisa MPI 2020 Industry 4.0, realizada pela SAP nos Estados Unidos, 83% dos líderes industriais entrevistados acreditam que a Indústria 4.0 será extremamente importante nos próximos anos. Dessas lideranças, 50% já implementaram algum tipo de tecnologia relacionada com a Indústria 4.0 e 88% projetam um aumento dessas iniciativas.

Com faturamento dobrando ano a ano, a Sirros IoT é um exemplo da transformação que o setor industrial passa neste momento. Especializada em Internet das Coisas voltada para Indústria 4.0, a startup oferece soluções de controle industrial para que pequenas, médias e grandes empresas possam ser guiadas por dados.

O grande objetivo das suas soluções é levar a digitalização ao chão de fábrica e fazer com que a indústria consiga produzir mais com menos. Ou seja, que possam gastar menos energia, recursos, mão de obra e matéria-prima e, ainda assim, fabricar mais produtos.

“Atacamos um dos cernes da parte industrial que é o aumento de eficiência operacional, colocando nossos hardwares e nossa plataforma para rodar dentro da fábrica”, complementa Schlindwein.

A startup nasceu em 2016, mas foi lançada ao mercado mesmo em 2018 quando os seus produtos já estavam mais maduros. Um dos grandes diferenciais da empresa desde o início foi a formação de um grupo de sócios com características complementares, com expertise em negócio, tecnologia e pessoas, o que foi essencial para o seu rápido crescimento.

Uma instituição que também teve importância no desenvolvimento da startup gaúcha foi o Sebrae-RS. Em 2018, a startup recebeu o apoio da entidade para participar do 1° Gramado Summit e, desde então, ambos mantêm uma parceria estreita com a participação de eventos, exposição, auxílio em busca de mercado e networking. A Sirros, inclusive, é uma das indtechs para ficarmos de olho em 2021, resultado de um levantamento realizado pelo Sebrae RS e pelo Instituto Caldeira.

Especializada em grandes empresas

Randon, Tigre, Usiminas, FCC e Grupo OAS são algumas gigantes do setor que a Sirros tem como cliente. E é mesmo nas grandes indústrias o seu nicho de mercado. “Não é um segmento muito fácil. As barreiras de entrada são grandes. Mas é onde nos especializamos atender. Temos um ótimo relacionamento com eles, além de um canal de mão dupla para trocar informações seja sobre cultura ou tecnologia”, acrescenta Schlindwein.

Para ele, a presença de empresas de inovação para atender esse setor ainda é tímida quando comparada às startups de outros segmentos. Uma das explicações está no fato de a área trabalhar com uma tecnologia complexa, que leva mais tempo para estar pronta e que necessita de um recurso mais intensivo.

“As indtechs têm uma tendência a maturar mais tarde essas soluções porque, muitas vezes, envolve hardware, o que tende a ser um pouco mais lento. Por isso, não são tantas as que existem hoje e que estejam em um nível de maturidade alto, com relacionamentos formados de uma clientela grande”, explica.

Em 2020, a Sirros IoT ficou em primeiro lugar no relacionamento com grandes empresas na quinta edição do Ranking 100 Open Startups no Brasil.

Raio X

Nome da startup: Sirros IoT

Nome dos sócios: Romulo Pehls, Diego Schlindwein, Lucas Toniazzo, Leonardo Pavanello, Romulo Oliveira

Estágio: Scale

Segmento: IoT Industrial

Número de colaboradores: 25

Investimento já recebido: Bootstrap

Principal produto: Sirros S1