scroll

O Zro Bank, primeiro banco digital multimoedas do Brasil, encerrou 2021 acumulando R$ 3 bilhões em conversões entre reais e bitcoins, além de superar os R$ 13 milhões de receita. Os valores correspondem ao período que vai de setembro de 2020, ano da fundação da empresa, até dezembro do ano passado.

O criptobank não cobra taxas para a utilização de serviços de banco como cartão de débito, conta digital, transferências e pagamentos. A monetização é feita por comissões relacionadas ao uso desses serviços e por meio de uma pequena fração das conversões realizadas dentro do aplicativo, dinâmica semelhante às casas de câmbio.

Com o modelo de negócio validado pelos mais de 300 mil downloads e a entrada de investidores institucionais como novos sócios, o Zro Bank projeta que 2022 será o ano de consolidação de seus serviços, principalmente para os novos entrantes no mercado de criptomoedas.

Em outubro de 2021, a fintech recebeu um aporte de R$ 25 milhões da Multinvest Capital e mantém conversas com uma das maiores instituições financeiras do país para um novo investimento milionário.

“Ainda no primeiro semestre deste ano ampliaremos a oferta, hoje focada em Bitcoin, a mais de 60 outras moedas digitais, ampliando muito as opções de diversificação dentro do universo cripto para nossos clientes. Também estreitaremos relacionamento com o público gamer, extremamente estratégico para a empresa, por meio de parcerias e novos produtos”, afirma Edisio Pereira Neto, CEO do Zro Bank.

Lançado em setembro de 2020 como o primeiro banco digital da região Nordeste do Brasil (baseado em Recife), o Zro Bank se posicionar como primeiro criptobank ou banco multimoedas do país. Isso significa que, além de realizar os serviços tradicionais de um banco, seus usuários podem, em uma mesma conta, pagar e receber em reais ou criptoativos, sempre com liquidez imediata.

O Zro Bank foi também a primeira instituição no Brasil a implementar junto com a VISA, o cashback em Bitcoin para as transações efetuadas em seu cartão, evoluindo assim o mercado de fidelidade/milhas no país.

Eleito entre as 5 maiores fintechs do Brasil, no ranking 100 Open Startups de 2020, foi apontado, em 2021, como uma das startups mais promissoras de finanças pelo ranking 100 Startups to Watch.