scroll

Conectar lojas a seus clientes e criar um relacionamento duradouro e de resultados positivos para ambas as partes é o grande propósito da Kiskadi, startup brasileira de tecnologia com foco em soluções de CRM para o varejo. Sediada em Porto Alegre e com operações em Campinas e nos Estados Unidos, a retailtech desenvolveu uma plataforma de fidelização online que oferece estratégias inteligentes aos lojistas e franqueadores.

Atualmente, marcas de destaque como Mundo Verde, Tea Shop, NBA Store, Casa Bauduco, Mr. Cheney e Caverna do Dino possuem em comum o uso da solução da Kiskadi para aumentar o seu volume de vendas e gerar um vínculo cada vez maior com o seu público.

Tudo começou em maio de 2014, período em que a startup conquistou o seu primeiro cliente. Passados sete anos, algumas crises econômicas e até mesmo uma pandemia, a empresa acumula, atualmente, mais de 600 clientes espalhados pelo país, com planos de, em breve, entrar no mercado europeu.

O velho mundo, aliás, está nas raízes da empresa, uma vez que possui como CEO o francês François Holl. O empresário desembarcou em Porto Alegre em 2011, após ter vivido mais de uma década nos Estados Unidos. Logo que chegou à capital gaúcha, ele conta que se instalou no bairro Moinhos de Vento, cujas ruas costumam abrigar lojas requintadas e de renome. “Você pode ir caminhando até esses locais e, rapidamente, pude descobrir uma grande variedade de formas de atendimento e estilos dos lojistas”, comenta.

Uma das coisas que mais chamou a atenção de François foi que, mesmo frequentando os estabelecimentos semanalmente, quase todos os vendedores sequer sabiam o seu nome. Em uma loja de vinhos, porém, um atendente fez questão não só de anotar o nome do empresário, mas também algumas de suas preferências para que pudesse comunicar produtos que poderiam lhe interessar. Após alguns anos, o francês se mudou para o Bela Vista e os seus locais de compra passaram a se concentrar nesta região. “Minha fidelidade com as lojas do Moinhos era puramente geográfica, com uma exceção: até hoje compro na loja de vinhos do meu antigo bairro”, relata.

A história contada pelo CEO da Kiskadi exemplifica bem o ponto que a retailtech deseja impactar: fazer com que as lojas não dependam apenas da localização ou mesmo de um produto para fazer sucesso e ajudar na criação de um relacionamento duradouro com os seus clientes por meio de uma gestão de CRM, fidelidade, campanhas e pós-venda personalizado – estratégias essas que fazem parte da plataforma online da startup.

Segundo semestre promete ser ainda mais positivo

Os investimentos nas startups de soluções ao varejo em 2021 demonstram a presença cada vez maior das retailtechs no setor. De acordo com relatório do Distrito, o Inside Retailtech Repor, foram recebidos US$ 682,4 milhões em pouco mais de três meses neste ano. Conforme o levantamento, o valor já ultrapassa o total de investimentos registrados em 2018 (US$ 675,4 milhões) e corresponde a 95% do total investido em 2020 (US$ 712,3 milhões).

Para a Kiskadi, o início do ano começou positivo, em um movimento de retomada do mercado do varejo. O aumento dos casos de Covid-19 e restrições impostas ao comércio no mês de abril, porém, fez com que muitas negociações em andamento fossem congeladas. Segundo o CEO da startup, o cenário de incerteza perdurou até junho, quando o avanço da vacinação e os seus resultados começaram a ser notados de forma mais clara.

O varejo tem mais confiança para voltar a investir. Para nós, o mercado voltou muito forte nos meses de julho e agosto e a segunda metade do ano promete ser muito boa para as retailtechs”, prevê o empresário.

Varejo amadurece sua cultura digital

Em pouco tempo, a pandemia mudou consideravelmente o comportamento, os hábitos e as expectativas do consumidor, o que praticamente obrigou o varejo a adotar uma cultura digital mais madura. Neste contexto, as soluções oferecidas pelas mais de 760 retailtechs presentes no Brasil hoje têm tido um papel fundamental para integrar os varejistas em um novo cenário.

Antes da pandemia, a maioria dos lojistas pensava que para ter sucesso, bastava ter um ponto físico bem localizado, um produto diferenciado e um atendimento de qualidade. Isso mudou. Hoje, é necessário ter uma gestão de dados dos clientes para estar sempre em contato e ter canais de venda on-line, além de conseguir entregar em casa os produtos do cliente para não forçá-lo a ir até a loja”, defende François.

Ele classifica como uma surpresa agradável ser uma das startups presentes no levantamento feito pelo Sebrae-RS, em parceria com o Instituto Caldeira, que lista startups que vêm se destacando em seus setores e com maior potencial para fazer a diferença em 2021.

“Há 10 anos eu cheguei no Brasil sem falar português e sem conhecer ninguém. Ter esse reconhecimento após conseguir criar uma empresa com a ajuda dos amigos da Associação Gaúcha de Startups e de outros empreendedores é incrível”, declara.

Raio X

 Nome da startup: Kiskadi

Nome dos sócios: CEO François Holl

Estágio: Escalando

Segmento: SaaS para o Varejo

Número de colaboradores: 12

Principal produto: A Kiskadi oferece uma plataforma on-line com programa de fidelidade, CRM, ferramentas de envio de SMS/E-mail/WhatsApp