scroll

O Zoom Video Communications, empresa que ajudou a revolucionar a forma como as pessoas se conectam e se comunicam dentro e fora do ambiente de trabalho, está de olho nas iniciativas de inovação e nas startups. Para estimular ainda mais as integrações na plataforma através de uma rede de parceiros desenvolvedores de tecnologia, a companhia fundada em 2011 e sediada em San Jose, na Califórnia (EUA), acaba de lançar um fundo de investimento de US$ 100 milhões para o Zoom Apps, produzido para gerar integração na plataforma com novos hardwares e aplicativos. O fundo irá incentivar novas parcerias com agentes da cadeia de inovação espalhados pelo mundo. E a empresa tem ótimas expectativas para os projetos que surgirão em território gaúcho.

Esperamos que o Rio Grande do Sul, que já conhecido por seu ambiente de inovação pujante, possa colaborar com muitas iniciativas, pois reúne algumas das maiores startups e empresas do País. Estamos sempre pensando e criando soluções para o futuro e o presente do trabalho, mas é preciso fazer isso em grupo”, afirma o diretor de relações governamentais da empresa para a América Latina, Nicolas Andrade.

O Zoom está otimista com o engajamento dos brasileiros com a platafoma. O número de usuários cresceu 31% no País de janeiro a abril de 2020. Recentemente, o player anunciou que irá lançar seu primeiro escritório no Brasil, localizado em São Paulo. A sede, inclusive, já está pronta, e só ainda não abriu as portas devido à questão sanitária. A projeção é que a inauguração ocorra entre este ano ou até início de 2022. E a empresa já pensa nas contratações. “Não queremos ter limitação física. Se encontrarmos um colaborador do Rio Grande do Sul, por exemplo, ele poderá ser chamado para fazer parte do modelo de trabalho híbrido. Antes isso não era possível porque faltavam, justamente, ferramentas como o Zoom”, analisa.

O Zoom Apps Fund marca os 10 anos da empresa no mercado e é uma forma de retribuir os investimentos que o Zoom recebeu no início de sua jornada. Entre dezembro de 2019 e abril de 2021 o Zoom passou de 10 milhões de usuários por dia para 300 milhões.

“Sem os investidores não estaríamos aqui”, lembrou o CEO e fundador da companhia, Eric S. Yuan, no lançamento do fundo. “O que aprendi no ano passado é que precisamos manter as reuniões produtivas e divertidas. Minha esperança é que o Zoom Apps Fund ajude nossos clientes a se sentirem mais felizes e colaborar de forma ainda mais perfeita, mas ao mesmo tempo, ajude os empreendedores a construir novos negócios conforme nossa plataforma evolui”, acrescenta. Os interessados em participar podem acessar o link.

Como vai funciona o Zoom Apps Fund

As empresas selecionadas receberão investimentos iniciais entre US$ 250 mil e US$ 2,5 milhões para construir soluções que se tornarão essenciais para a forma como os clientes Zoom se encontram, se comunicam e colaboram. A ideia é investir em produtos viáveis e focados nas experiências do cliente.

Dezenas de aplicativos Zoom já estão em desenvolvimento e vão ser um componente importante na construção do futuro das comunicações de vídeo”, ressalta Andrade.

Saúde deve ser colocada em prioridade para novas soluções

O Zoom quer investir em reuniões mais divertidas, com novos filtros e fundos com reação própria, mas a ideia vai além do divertir. O propósito é que a plataforma seja palco de interações produtivas, mas descontraídas, combinando trabalho com qualidade de vida.

O representante da empresa na América Latina, Nicolas Andrade, dá três dicas para reuniões menos desgastantes e mais proveitosas:

Agende reuniões mais curtas, de 25 minutos, ao invés de 30 minutos, por exemplo, e use os cincos minutos para um descanso;

Separe parte do dia para sair à rua. O próprio executivo aplica isso no seu dia a dia. “Eu desligo a câmera e saio para caminhar pela rua durante algumas reuniões da semana. Isso me ajuda a pensar sobre algumas das questões da empresa. Também temos a política de não fazer reuniões internas em um dia da semana, no caso, quarta-feira”, conta.

Invista em sua saúde mental

“Temos certeza que futuro do trabalho vai combinar as melhores partes do trabalho no escritório com qualidade de vida e bem estar de quem pode ficar em casa um pouco mais e, assim, evitar trânsito e passar mais tempo com familiares”, destaca Andrade.