scroll

Mais uma grande notícia para o Rio Grande do Sul e o Brasil. O Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), um dos mais importantes ambientes de inovação da América Latina e parceiro estratégico do Instituto Caldeira, vai investir R$ 15 milhões para a implantação do Tecnopuc Anywhere, resultado de um edital do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). A ideia é criar uma ambiência e uma plataforma figital (física, digital e social) para a comunidade Tecnopuc, esteja ela presencial ou remota.

Para o reitor da PUCRS, Ir. Evilázio Teixeira, a aprovação no edital é motivo de celebração para toda a comunidade acadêmica.

A PUCRS está sempre em busca de desenvolvimento e inovação nas suas diferentes áreas de atuação. O recurso que o Parque Tecnológico receberá é uma resposta às emergências tecnológicas que vivemos, no qual a Universidade tem um papel fundamental na expansão do Tecnopuc Anywhere, com o propósito de modernizar e expandir a atuação do Parque e a interação com a sociedade”, destaca o reitor.

Segundo Jorge Audy, superintendente de inovação e desenvolvimento da PUCRS, esta não é a primeira vez que o Parque é aprovado em editais da Finep e do MCTI de apoio a parques científicos e tecnológicos.

Temos uma responsabilidade muito grande em fazer bom uso dos recursos aprovados, mantendo o padrão de entregas dos editais anteriores, que participamos desde o primeiro em 2002. Com a execução desse projeto, procuramos manter o Tecnopuc e o ecossistema gaúcho de parques científicos e tecnológicos à frente desse processo de desenvolvimento dos ambientes de inovação do nosso País”, comenta.

#VoaRS

Confira abaixo a matéria do Jornal do Comércio, publicada essa semana.

Por Patricia Knebel,

Um dos mais importantes ambientes de inovação da América Latina, o Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc) entra em uma nova e acelerada fase de expansão. O aporte de R$ 15 milhões, resultado de um edital da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), órgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), vai permitir a modernização e atualização tecnológica do Tecnopuc. Isso inclui a criação de ambientes imersivos, espaços de interação presencial e remoto, e o desenvolvimento da nova plataforma digital do Tecnopuc Anywhere.

Do ponto de vista físico, a modernização terá como epicentro o prédio do Portal Tecnopuc, que passará a ser o ponto central do conceito de Anywhere. A ideia é criar uma ambiência e uma plataforma figital (física, digital e social) para a comunidade Tecnopuc, esteja ela presencial ou remota.

Teremos um ambiente imersivo, hiperconectado e responsivo. Iremos projetar tudo que acontece aqui, em Porto Alegre, para outros sites, fazendo com que o Tecnopuc passe a interagir ainda mais intensamente com empreendedores espalhados pelo mundo”, explica a gestora de operações e empreendedorismo do Tecnopuc, Flavia Fiorin.

Além da infraestrutura física e tecnológica que permitirá essa integração virtual, uma parcela significativa dos R$ 15 milhões (que serão operados nos próximos cinco anos), será destinada para as plataformas digitais que tornarão possível toda essa interação, como por meio da criação de ambientes imersivos a partir de tecnologias como de Realidade Virtual e Realidade Aumentada.

Anywhere 

Essa é, sem dúvida, a inauguração de um novo momento para o Tecnopuc. Até então, o parque teve uma trajetória de expansão da sua infraestrutura para acolher grandes empresas e startups, como HP, Oracle, Microsoft, Apple, e gerar conexões com a comunidade focada no empreendedorismo e inovação. “Agora, temos a certeza de que essa expansão precisa acontecer em um ambiente virtual e digital, e em uma proporção para além daquela que a gente já vinha operando”, destaca Flavia. E é justamente a partir desta lógica que ganha força o conceito do Tecnopuc Anywhere, resultado de uma atualização e amadurecimento do modelo de negócios atual.

“Sempre tivemos uma presença global de interação com parceiros e de possibilidades de recepção de empresas internacionais e conexão e encaminhamento dos nossos players para ambientes internacionais. Para evolução desse modelo, passaremos a ter, efetivamente, a nossa operação nesse contexto também”, complementa a gestora.

Leia mais!