scroll

Ex-VP de Marketing da Ambev e líder da Adventures, Inc., Ricardo Dias,  acredita que grandes ideias nascem de uma tensão cultural aliada à atividade humana. E é a partir dessa lógica que ele, que largou uma carreira de 18 anos para empreender, quer definir a nova maneira com que as marcas se comunicam com o público, criando uma forma mais eficiente na monetização da publicidade.

Vivemos na era do conteúdo: nunca se consumiu tanto e em tantos canais diferentes. Podemos maratonar uma série na Netflix, acompanhar o noticiário pelo Youtube e ver os bastidores da novela das 9h seguindo o elenco no Instagram. A opção é cada vez mais farta e, no meio de toda essa mudança, a propaganda também precisa se adaptar à nova realidade.

Como? Com mais entretenimento e menos interrupção. E outra coisa: não há mais um formato nem meio ideal. A propaganda pode estar em um stories de 30 segundos de um influenciador digital, em um podcast sobre negócios e em diversos outros formatos.

O bom conteúdo é o que prende a atenção, pois é subjetivo medir a qualidade. Então, quando falamos de uma boa propaganda, estamos falando de um produto que entretenha nossas vidas, e não as interrompa”, confirma Dias.

Ele participou recentemente do Caldeira Sessions, e falou sobre sua trajetória profissional, os rumos da comunicação e o papel da Adventures, Inc.  no meio desse novo modelo de negócio, que conecta publicidade, entretenimento, produção de conteúdo, grandes empresas e celebridades digitais.

Conectar influenciadores às marcas e monetizar o engajamento

Na visão de Ricardo Dias, é preciso virar a chave no quesito ‘monetização da publicidade’ e a saída para isso é transformar engajamento em lucro. A verticalização das mídias veio para ficar e, por isso, a publicidade tem que se conectar ao que realmente as pessoas querem ver.

Tem uma série de pessoas produzindo conteúdos melhor do que as grandes marcas. E não precisa ser um Cristiano Ronaldo para valer o investimento, pode ser a cozinheira do seu bairro”, conta Dias, acrescentando que o número de seguidores não diz nada. O que vale é o engajamento.

“Hoje em dia, com a popularização do celular, todo mundo tem um canal de transmissão, a capacidade de produção e a liberdade de escolher o que ver. Temos um poder de voz muito maior do que no passado”, analisa.

Nesse cenário, a Adventures, Inc. cria pontes entre produtores de conteúdos e marcas, mas em uma nova lógica de negócio: monetizar a retenção de atenção das ‘celebridades’ através de uma participação do negócio.

Sem se esquecer, é claro, de um uso de dados cada vez maior para, a partir deles, levar o conteúdo certo para as pessoas certas e criar diferentes formas de se contar a mesma história.

Mas a narrativa segue fundamental para o ramo, lembre ele. Ela deve ser uma para um anúncio de 30 segundos durante um jogo de futebol e outra no comercial da novela das 21 horas. “

A criatividade sempre vai ser um valor para a publicidade”

Empreendedorismo na prática

Com a longa carreira executiva na Ambev, Ricardo Dias pode viajar pelo mundo, conhecer novas culturas, crescer como profissional e conquistar a tão procurada tranquilidade financeira. Mas para quem tem sonho grande, não há conforto que sacie a vontade de colocar esse sonho em prática.

Durante a pandemia, ele saiu do escritório e foi para casa, como boa parte de nós. “Comecei a produzir mais conteúdo e falar com as pessoas. Tive mais tempo para pensar e daí surgiu a vontade de coisas novas”, relembra.

Nesta época, ele foi convidado pelo Raphael Avellar para participar de um podcast de negócios e os dois acabaram saindo sócios do encontro. Hoje, Avellar é CEO da Adventures, Inc. e Dias, sócio fundador. Atualmente, a empresa dos dois trabalha para marcas como Tik Tok, Tinder, Disney, John Deere, Domino’s, Privalia, Americanas e Stone.

Mas voltando ao processo de empreender, Dias lembra que o mais importante no processo (e pode parecer óbvio) é dedicar tempo para maturar a ideia.

É preciso dedicar muitas horas para desenvolver um negócio, ninguém bota na rua um sonho grande em poucos meses, mesmo nesse cenário tão dinâmico. Boas ideias a gente vê em vários lugares, mas é preciso executar bem”.

Junte tempo com um sonho grande, pessoas capacitadas, coragem e uma cultura forte que, segundo a receita de Dias, o seu negócio tende a ser promissor.

Inclusive o empresário enxerga a cultura como ponto primordial para o desenvolvimento de qualquer negócio. “Sempre comece pensando na cultura da empresa”.

Acontece que no Brasil empreender pode ser uma jogada de alto risco, já que o custo do erro é muito caro no país, embora o potencial do brasileiro seja imenso, na visão do fundador da Adventures. “A gente precisa de mais Institutos Caldeiras no Brasil. Eu acredito que o Caldeira vai transformar muitas pessoas em grandes empreendedores ”.

Os futuros possíveis da propaganda

Não é preciso de bola de cristal para prever que as novas tecnologias irão ditar de forma ainda maior a forma como vivemos. E no caso da produção de conteúdo não é diferente. Para Ricardo Dias, o vídeo já é, mas será ainda mais, o futuro da propaganda. No caso, a nova propaganda: aquela que entretém ao invés de interromper.

No entanto, segundo ele, o uso de tecnologias habilitadas por voz, a exemplo da Siri, da Apple, devem ser cada vez mais protagonistas.

Além disso, ele cita duas frentes onde a publicidade ganhará espaço num futuro próximo. A primeira é no mundo dos e-sports. “Vejo uma área subvalorizada, onde a atenção esta barata, que são os e-sports e o Brasil já é um grande produtor nessa área. É um ecossistema novo que vai mudar a forma como as marcas se comunicam”.

O segundo é o blockchain tecnologia que, segundo ele, vai contribuir para monetização e, assim, vai mudar a forma como as marcas pagam pela publicidade.

Para ter acesso à entrevista completa, confira a participação de Ricardo Dias no canal do Instituto Caldeira no Youtube.