scroll

Você provavelmente já ouviu falar dos unicórnios, aquele termo usado para startups que possuem avaliação de mercado acima de US$ 1 bilhão.

Um título que toda (ou quase toda) startup quer conquistar, mas que não é nada fácil de alcançar. Isso porque para se tornar unicórnio é preciso bem mais do que boas ideias. A receita deste bolo também pede um ambiente encorajador para os projetos, conexões com fundos de investimentos e, claro, ter um grande sonho.

A MadeiraMadeira precisou de tudo isso e um pouco mais para alcançar esse posto em 2020. Fundada em 2009 em um galpão em Curitiba (PR), começou como um pequeno negócio de produtos de construção e se tornou o maior e-commerce de imóveis da América Latina, título conquistado em 2021, em plena pandemia de Covid-19. Desde então, a empresa entrou para um rol bem seleto de unicórnios nacionais: é o 16º Made in Brazil.

Aliás, o ano de 2021 foi de recorde de investimentos em startups e também o período com maior número de novos unicórnios no Brasil. Dez novas empresas atingiram o status. São elas a C6, Cloudwalk, Mercado Bitcoin, Unico, Hotmart, Frete.com, Olist, Merama, Facily e a MadeiraMadeira. Para este ano, a expectativa continua alta e outras 14 empresas estão no páreo, além de mais sete para 2023. Quem mostra isso é a nova edição do estudo da plataforma de inovação aberta e transformação digital Distrito: a Corrida dos Unicórnios.

O nosso propósito é mudar a forma como as pessoas compram móveis e decoram suas casas, até porque o nosso lar é onde nos sentimos mais acolhidos”, diz Ivan Zamban, senior manager cloud/devops da MadeiraMadeira.

E com a pandemia, os nossos lares se tornaram ainda mais importantes. Para a MadeiraMadeira, ela também foi uma catapulta! Foi durante a pandemia que a empresa passou de 700 para mais de 2 mil colaboradores, chegou ao marco de 10 mil entregas por dia e construiu mais de 100 lojas físicas.

Zamban contou como foi essa jornada no Caldeira Talks, evento promovido na sede do Instituto Caldeira, em Porto Alegre. Você já pode conferir a palestra completa no canal do Youtube do Caldeira, clicando aqui!

Escalando e o projeto

A companhia, ressalta o gestor, desenhou um crescimento em etapas que vão além da compra online. Para ser o maior ecommerce de imóveis da América Latina é preciso bem mais do que um site responsivo – mesmo que isso seja também bem importante.

Na primeira fase do negócio, a MadeiraMadeira surgiu como um dropshipping do segmento de imóveis. Ou seja, as encomendas eram feitas no site da companhia, mas quem montava e enviava as compras eram terceiros. A vantagem neste caso era não depender de estoques.

Depois da primeira rodada de aportes, os investimentos da MadeiraMadeira foram massivamente aplicados em tecnologia.

A gente  montou um escritório na frente da faculdade de tecnologia do Paraná para atrair os estudantes ao nosso projeto”, lembra Zamban.

Porém, até então, uma das partes do mais complexas do projeto ainda era terceirizada: a logística.

A logística segue sendo ainda a parte mais difícil do processo, onde há as maiores perdas operacionais, e acredito que siga sempre sendo assim, mas avançamos muito com a criação de um braço logístico próprio, a Bulky Log”, diz Zamban. Só em 2021 foram 100 lojas novas criadas do zero – cerca de duas por semana.

Por fim, a consolidação da empresa contou com a criação de lojas físicas que servem como uma vitrine dos principais produtos online.

Uma forma da pessoa sentir o produto, o que é muito importante quando o assunto é imóveis para casa”, explica.